-->

terça-feira, 11 de maio de 2010

Bairro e Vila, as diferenças.

     28/07/2015
     
    A ultima da "vila" e mais atual é ameaça verbal, com palavras de baixíssimo calão (as mais absurdas que se imagina), e tentativa de agressão, com um martelo, a um menor. Graças a interferência dos "boinas" não deu coisa pior.

****
    Caros leitores falo por experiência própria, quero deixar bem claro que não estou desfazendo deste ou daquele, mas sim colocar meu ponto de vista do que ocorre na realidade, na verdade duas realidades bem distintas.
     Morei por algum tempo em bairros classe social media alta, digamos assim tanto aqui em Santa Cruz do Sul quanto em outras cidades, porém sempre de aluguel, pois o custo de vida, bem como a aquisição de casa própria ou terreno, fica difícil... Pois, os valores são bem expressivos.

O Bairro!

     É tranquilo, com exceção do barulho do vai e vem rotineiro dos automóveis, são bem acessíveis, perto de praticamente tudo, geralmente não muito distante do centro da cidade, as pessoas mesmo que “na delas” são mais acessíveis, os ônibus passam na sua rua ou quando muito há uma quadra de sua casa com intervalos de tempo menores e itinerários que possibilitam pegar mais carros e descer praticamente a porta de casa. Sem contar que o respeito é algo, ninguém entra no teu pátio sem te pedir licença, a não ser o ladrão – este não distingue morador do bairro ou da vila, não há exagero de abusos, tais como gritarias, som alto, roupas no teu muro etc.

A Vila!

     Meu amigo, “a vila” no bom sentido, até tenho receio de falar. Distante de tudo, ônibus dizem que é de meia em meia hora, porém... Final de semana e feriado dizem que é de hora em hora, de novo! Porém... Resumindo a respeito dos ônibus não respeitam os horários previsto (final de semana e feriado) ou vem antes ou passam depois do horário.

     Como você não tem muita escolha! Na verdade até você tem: ou mora no bairro de aluguel por um bom período de tempo ou compra o pequeno espaço de terra, na vila a qual os valores do imóvel se enquadram em sua renda ou poder aquisitivo, te possibilitando a compra na “vila” e ainda financiada pela caixa!

     Os abusos vão de excesso de velocidade, motos com três pessoas, motoqueiros sem capacetes causando barulho ensurdecedor e rachas. E as desavenças entre visinhos, os envolvidos não são capazes de resolver os problemas entre eles, fazem a maior algazarra envolvendo terceiros que nada tem a ver com seus problemas.

     Uma diferença gritante entre bairro e vila é o fato da maioria das pessoas acharem que são donos da rua. Vá aos dois e observe com relação a este ponto de vista! No bairro você não vê as pessoas andando normalmente pelas calçadas. Na vila que nem sempre há calçadas, as pessoas ocupam o meio da rua, seja para caminhar ou praticar seus esportes favoritos, sendo necessário em muitos casos dos carros terem que parar solicitando licença ou buzinando para daí então poder passar.
     E você como cidadão de bem, trabalhador muitas vezes se obriga a conviver com este tipo de absurdo muitas vezes por medo, não querer se envolver, pois seu bem maior é segurança da família. Mas para encerrar, gostaria que as pessoas que estão lendo, deixassem seus comentários de experiências próprias ou de relatos de outras pessoas.
        Ainda por cima tem os cães soltos, que invadem as lixeiras, mordem os transeutes e fazem muito barulho a noite!

5 comentários:

xico disse...

Inacreditável! Duas pessoas, vizinhos, morando um na frente do outro. As 07 horas da manhã as pessoas discutindo, trocando ofensas, se ameaçando aos “berros”. A BM é acionada, para conter a situação. A "valente" grita aos quatro cantos, segundo ela é para ter testemunha. A suposta vítima, fica enclausurada dentro de sua casa, respondendo e conta atacando. Mesmo com a presença da BM, o "furdunso" não cessa. Como fica o cidadão que trabalha a noite e precisa do silêncio para descansar? Então“Dorma com este barulho!”

ffrancco disse...

A moda agora é reunir alguns "amigos" e colcar som no último volume até mais ou menos às 02 da madruga, como se somente fossem os únicos moradores da rua. Não levando em conta as pessoas que trabalham, tem crianças pequenas, etc. Acho que tudo tem limite, o uso do bom senso, ajuda a manter a paz entre as pessoas, aposto que se for solicitado para que respeite os horários do silêncio, se ofendem.
Vamos levando no limite do bom senso, até que a paciência se esgote e se tome uma atitude enérgica.

Anônimo disse...

E ainda por cima dão altas risadas, achando que estão agradando...

Anônimo disse...

Infelizmente é tudo verdade, a diferença é grande mesmo!

Anônimo disse...

Infelizmente a diferença entre bairro e vila é essa mesma, parece até piada quando imaginamos a imagem que o autor descreve,mas é a mais pura realidade!

Testando ferramentas de design, no blog

Hoje é um dia que resolvi me dedicar a fazer algumas alterações em meu blog. Talvez eu venha até alterar o título, minha primeira sugestão ...